ASSOCIAÇÃO DOS PACIENTES DOADORES
E TRANSPLANTADOS RENAIS DE
SOROCABA E REGIÃO


Publicidade / Campanha - 468x60


     

  

SOBRE A TRANSDORESO  |  DIRETORIA   |   ESTATUTO SOCIAL  |  METAS E OBJETIVOS  |   DOAÇÃO  |  VOLUNTARIADOFALE CONOSCO   

CAPAOS RINS | MANUAIS DE AJUDA | SEUS DIREITOS | HEMODIÁLISE | ORIENTAÇÃO NUTRICIONAL | TRANSPLANTES | GLOSSÁRIO | FAQ |

  FAQ


Caro colega,

Quando cessa o funcionamento dos rins, você deverá fazer diálise para o resto da vida ou, para alguns, até o dia em que possam beneficiar-se com um transplante renal. Portanto, será necessário que você aprenda a incorporar a diálise à sua vida. Este aprendizado é fundamental para o paciente dialisado que deseja viver o melhor possível.

Você deve aprender o que significa ser um insuficiente renal. Deve aprender, ainda, a se alimentar e beber de forma apropriada, a tomar os medicamentos e a ter uma atividade física adequada. Se você assimilar bem essas diferenças, impedirá que esta doença domine sua vida.

Os conhecimentos médicos sobre as doenças renais e tratamentos avançam sem parar. Os pesquisadores se esforçam constantemente em melhorar a qualidade de vida dos insuficientes renais.

Mesmo que, em última análise, você seja o principal responsável pela sua vida, você está cercado de pessoas que estão disponíveis para lhe dar apoio: médicos, enfermeiros, nutricionistas, auxiliares de enfermagem.

Nossos votos são para que as informações aqui contidas ajude-lhe a aproveitar o máximo possível da vida quando em diálise
.


PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A INSUFICIÊNCIA RENAL


O que é o rim e qual a sua função no organismo?

O corpo humano possui dois rins que se localizam nas costas,
um de cada lado da coluna vertebral. São orgãos que desempenham funções vitais como:
filtrar sangue, mantendo alguns elementos e eliminando outros através da urina;
estimular a produção de glóbulos vermelhos, evitando a anemia;
regular a pressão arterial;
formar os ossos durante o crescimento e mantê-lo normais.



O que é insuficiência renal?

É a incapacidade de ambos os rins realizarem seu trabalho.

Quais são os sintomas da insuficiência renal?

Os sintomas são fraqueza nas pernas, diminuição do crescimento, palidez da pele, emagrecimento, vômitos, perda de apetite, cansaço fácil, inchaço e diminuição da urina.
Quando os rins perdem seu funcionamento, todos os produtos tóxicos que deveriam ser eliminados do organismo ficam acumulados no sangue.
Quando modificações da dieta e/ou tratamento medicamentoso não forem suficientes para melhorar a função renal, o tratamento de diálise e/ou transplante renal se farão necessário.


PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE O TRATAMENTO DA INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA

O que é a diálise?

A diálise funciona como um substituto dos rins: filtra o sangue, elimina as substâncias tóxicas que os rins não conseguem eliminar e retira o excesso de água do organismo.

A diálise pode ser de dois tipos:
A.DIÁLISE PERITONEAL
A diálise peritoneal é um tratamento que substitui as funções dos rins. O objetivo é retirar o excesso de água e as substâncias que não são mais aproveitadas pelo corpo e que deveriam ser eliminadas através da urina. Este tipo de diálise aproveita o revestimento interior do abdomen, chamado membrana peritoneal, para filtrar o sangue.
Tipos de diálise peritoneal :

DIÁLISE PERITONEAL AMBULATORIAL CONTÍNUA: é também conhecida como CAPD ou DPAC é a forma mais comum de diálise peritoneal e especialmente indicada para pacientes idosos, crianças ou aqueles para os quais a hemodiálise não é conveniente ou possível. Este tipo de diálise não precisa de máquina. Geralmente é realizada em casa, em um local limpo e bem iluminado. O próprio paciente pode fazer a infusão e a retirada (drenagem) da solução de diálise no abdomen ou pode ser auxiliado por uma outra pessoa especialmente treinada para fazer estas trocas de bolsas de solução. O sangue durante a CAPD está sendo filtrado o tempo todo. A solução de diálise vai de uma bolsa de plástico através do catéter até a cavidade abdominal e aí permanece por várias horas. A solução é então drenada e uma nova solução volta a encher o abdomen, recomençando o processo de filtração.

DIÁLISE PERITONEAL CICLÍCA CONTÍNUA: ou CCPD é parecida com a CAPD, porém nesta deve-se conectar o catéter a uma máquina que enche o abdomen e drena a solução de diálise automaticamente. Este método é geralmente realizado durante a noite, enquanto o paciente dorme, permitindo maior liberdade ao paciente durante o dia.

Caso você deseje informações a respeito deste tratamento, pergunte aos médicos a enfermeira responsável pelo tratamento.


B. HEMODIÁLISE

A hemodiálise é um procedimento que filtra o sangue. Através da hemodiálise são retirados do sangue substâncias que quando em excesso trazem prejuízo ao corpo, como uréia, potássio, sódio e água.

Como funciona a hemodiálise?
A hemodiálise é feita com a ajuda de um dialisador (capilar ou filtro). O dialisador é formado por um conjunto de pequenos tubos. Durante a diálise, parte do sangue é retirado, passa através da linha arterial do dialisador, onde o sangue é filtrado e retorna ao paciente pela linha venosa.

Lembre-se: a máquina de diálise é sua aliada. Pergunte ao seu médico ou enfermagem como funciona a máquina onde você dialisa pois quanto maior for o seu conhecimento, maior será sua confiança e melhores os resultados do tratamento.


Em quanto tempo acontece a hemodiálise?

Em geral, a hemodiálise é feita três vezes por semana, com duração de quatro horas. Pode existir variações neste tempo de acordo com o tamanho e a idade do paciente.

Não perca tempo: aproveite o tempo da sessão de diálise para ler, escrever, conversar, assistir televisão ou simplesmente dormir um pouquinho.


O que devo fazer antes da sessão de hemodiálise?

Comunique sua chegada na recepção da Nefrologia e aguardar ser chamado na sala de espera. Assim que sua máquina estiver pronta o chamaremos. Chegar para a sessão de diálise 15 minutos antes do horário de início. Guardar seus pertences no armário. Aproveite o tempo que lhe sobra e vá ao banheiro, para evitar que a diálise seja interrompida. Retire a blusa, casacos, sapatos e guarde-os junto no armário, para que saiba corretamente seu peso inicial. Não esquecer de seu garrote para a punção da fístula, isso previne a hepatite .

O que fazer ao ser chamado para a hemodiálise?

✔ Pesar-se ou pedir auxílio no momento de pesar-se;
✔ Lavar os braços com sabão na pia da sala de diálise para prevenir infecções;
✔ Enxugar os braços com papel toalha;
✔ Dirigir-se a sua poltrona e máquina para entrar em diálise;


PRESTE ATENÇÃO ISTO É MUITO IMPORTANTE

✔ Conferir se seu nome está escrito no capilar, pois impedirá que haja troca de capilares entre pacientes.
✔ Caso tenha tido algum sangramento em casa, por exemplo,do nariz, menstruação, escarro com sangue, vômito com sangue e outros, informe a equipe antes de iniciar a sessão, evitaremos ou diminuiremos o uso de anticoagulante (medicamento usado para impedir a coagulação do sangue), para que o sangramento não piore.
✔ Avise se houver algum problema. Sempre antes de iniciar da diálise.
✔ Seu capilar será trocado com 12 reusos. Você deverá ficar ciente da troca e assinar uma ficha quando ocorrer a troca de capilar.

O que fazer durante a sessão de hemodiálise?

✔ Comunique imediatamente qualquer intercorrência que houver.
✔ Evite movimentar o braço das agulhas para que não desgrudem e provoquem hematomas ou hemorragia, o que prejudicará a diálise e lhe causará dor.
✔ No caso de observar a entrada de ar pela linha venosa (azul), feche imediatamente com os dedos dobrando a linha, e avise a enfermagem.
✔ No caso de perder sangue pela linha arterial (vermelha), feche a com os dedos, dobrando a linha e avisando a enfermagem.
✔ Terminada a sessão será retirada a agulha da artéria e verificada a pressão arterial e peso final antes da retirada da agulha do lado venoso. Deverá comprimir os pontos da retirada com gaze até parar o sangramento. Após será feito curativo o qual não deverá circular o braço e será retirado somente após 24 horas como precaução de sangramento.
✔ Caso haja sangramento em casa, o que é muito raro, comprima o local com um pano limpo ou mesmo com os dedos e depois coloque um “band-aid” . Se persistir o sangramento, dirija-se ao hospital.
✔ É possível que sinta um pouco de fraqueza e “ cabeça anuviada” após a diálise que melhorará em algumas horas.
✔ Marcar uma consulta mensal com médico, para manutenção da saúde e prevenção de complicações. A secretária lhe orientará como marcar a consulta.
✔ Evitar que seus familiares permaneçam na sala de diálise, pois assim estará protegendo-os de infecções hospitalares.
✔ Nunca falte a uma sessão de hemodiálise. Se infelizmente isto acontecer, telefone para a clínica, para evitar que se prepare a diálise e assim seja desperdiçado material.
✔ Evite colocar sua vida em risco faltando a diálise.
✔ Se deseja viajar, combine as sessões com a enfermeira, leve seu capilar e seu relatório médico e de enfermagem contendo informações sobre o tratamento. Avise o outro serviço de diálise com antecedência.

Alguns problemas que podem surgir durante a diálise

É bastante comum sentir cãibras musculares e queda rápida da pressão arterial (hipotensão) durante a sessão de hemodiálise. Estes problemas acontecem, principalmente, em consequência das mudanças rápidas no equilíbrio dos líquidos e do sódio. A hipotensão pode fazer com que você sinta fraqueza tontura, enjôos ou mesmo vômitos. O início do tratamento dialítico pode ser um pouco mais difícil pois, nesta fase, o corpo está adaptando-se a uma nova forma de tratamento. Você poderá evitar muitas complicações se seguir a dieta recomendada, tomar poucos líquidos e tomar seus remédios nos horários corretos.


Durante a sessão de hemodiálise o médico ou enfermagem devem ser comunicados caso você não esteja se sentindo bem, para que receba o tratamento necessário rapidamente.

O quanto de diálise é suficiente?

Atualmente, podemos medir a quantidade de diálise e podemos mudar essa quantidade aumentando ou diminuindo o tempo de diálise, o número de sessões semanais, o fluxo do sangue ou o tamanho do dialisador. Seu médico é quem determina a quantidade de hemodiálise que você precisa, de acordo com o estado de atividade de seu corpo, da sua alimentação e ingestão de líquidos. O objetivo do tratamento é que você esteja sempre sentindo-se bem, bem nutrido, livre de inchaços, com a pressão controlada e com os exames de sangue mostrando quantidades aceitáveis de potássio, uréia, etc.

O uso correto das medicações e dietas recomendadas,ajudam muito no tratamento de hemodiálise

O que é peso seco?

Você já deve ter ouvido falar e pode ter sentido os prejuízos de chegar para a sessão de hemodiálise com um peso muito acima de seu peso seco.

Mas afinal o que determina o seu peso seco?
O peso seco é o seu peso ideal, com o qual você deve estar sentindo-se bem, sem inchaços, com pressão arterial normal, com exames de avaliação do pulmão e do coração normais. Este peso deve ser atingindo ao término de cada sessão de hemodiálise. Quando se ingere muita água ou outros líquidos entre sessões de hemodiálise, o seu peso pode ficar muito acima do peso seco e, além do inchaço, você pode sofrer intensa falta de ar, antes de chegar o momento de uma nova diálise. Para perder todo o excesso de peso durante a próxima sessão, você estará sujeito a cãibras, queda acentuada da presão arterial, náuseas, vômitos e mal-estar. Pergunte ao seu médico qual é o peso ideal para você e quantos quilos é permitido ganhar entre cada sessão de hemodiálise.

Quais os remédios que devo tomar?

Os medicamentos podem variar dependendo do caso de cada paciente, porém siga rigororsamente as receitas do médico.

Alguns medicamentos são usados sempre por todos os pacientes, enquanto fizerem a diálise:
✔ CARBONATO DE CÁLCIO, HIDRÓXIDO DE ALUMÍNIO OU ACETATO DE CÁLCIO: serve para manter e fortalecer os ossos. Se deixar de tomá-los poderá vir a apresentar doenças ósseas graves. Tome sempre às refeições e conforme a receita do médico.

✔ VITAMINAS HIDROSSOLÚVEIS: são perdidas durante a diálise. Inclui as vitaminas do complexoB e ácido fólico. Também deverá tomá-las enquanto fazer diálise.

✔ ANÁLOGO DE VITAMINA D (ROCALTROL®/ALFAD®): é a forma funcionante de vitamina D, que não é mais produzida pelo rim doente. Serve para manter os ossos fortes.

✔ ERITROPOETINA (EPREX, HEMAX): é o hormônio que controla a produção de glóbulos vermelhos no corpo. Serve para impedir a anemia evitando a transfusão sangüínea. Quanto menor o número de transfusões sangüíneas realizadas, melhor para o paciente.

✔ HIDRÓXIDO DE FERRO (Noripurum): consiste em medicamento a base de ferro, necessário para a eritropoiese (produção de células vermelhas)

✔ Devo tomar anti-hipertensivo (remédio para diminuir a pressão alta)?
✔ Deve tomar somente o que lhe foi orientado pelo médico.
✔ A fístula artério-venosa

Um fácil acesso à sua corrente sangüinea é essencial para que o sangue possa circular até o dialisador e para que retorne ao corpo. A fístula artério-venosa usada par a diálise é uma ligação entre uma artéria e uma veia, feita através de uma pequena cirutgia. A alteração no fluxo do sangue deixa a veia mais larga e com as paredes mais fortes e resistentes, permitindo então um fluxo de sangue rápido e a realização de várias punções, sem que a veia “ estoure”. Para que a veia da fístula esteja em boas condições de punção, ou como dizemos, para que a fístula amadureça, são necessárias algumas semanas. Por issso, o mais recomendado é que se faça esta pequena cirurgia alguns meses antes de se iniciar a hemodiálise, assim quando for necessário, a fístula estará pronta para ser puncionada.

Veja aqui algumas dicas para se ter uma boa fístula:

✔ mantenha o braço da fístula bem limpo, lavando sempre com água e sabonete. Isto evita infecções que podem inutilizar a fístula.
✔ Sempre que chegar à unidade de diálise, lavar o braço da fístula, antes da punção, com água e sabão,secando após com papel toalha.
✔ Evitar apertar o braço da fístula:
✔ Não permitir que seja medida a pressão arterial no braço da fístula;
✔ não permitir curativo que envolva a circunferência do braço;
✔ evitar dormir em cima do braço da fístula;
✔ não carregar peso sobre o braço da fístula;
✔ Não mexer na crosta formada no local da punção;
✔ Não usar pomadas e cremes no local da fístula sem ordem médica;
✔ Não remover pêlos próximos à fístula, o que, se necessário, será feito pela enfermagem;
✔ Fazer exercícios diários para ajudar a desenvolver a fístula:
✔ abrir e fechar a mão comprimindo uma bola de borracha;
✔ no dia seguinte à diálise, realizar compressa morna;
✔ Verificar diariamente o funcionamento da fístula pela presença de frêmito (tremor); se você notar a ausência de frêmito, deverá procurar imediatamente o centro de diálise ou a emergência 24 hs.
✔ Retirar o curativo somente na manhã seguinte à diálise como prevenção de complicações (sangramento).
✔ Em caso de sangramento, comprimir o local usando um pano limpo e elevar o braço da fístula. Se o sangramento for intenso, dirigir-se ao hospital.
✔ Usar compressa de gelo quando houver extravasamento sangüíneo(hematoma) no dia da diálise
✔ Usar compressas de água morna no dia seguinte; da diálise para que o organismo absorva o extravasamento sangüíneo (inchaço e hematoma roxo) do braço para aliviar a dor e facilitar a próxima punção, sempre conforme orientação médica.
✔ Não deixar que se colham amostras de sangue para exames, bem como a aplicação de remédios através da fístula, fora da unidade de diálise e sem ordem médica.
✔ Qualquer alteração no local da fístula, como calor, vermelhidão, inchaço ou ausência de frêmito, deve ser comunicado à equipe médica e de enfermagem.
✔ A fístula artério-venosa deverá ser manuseada apenas por profissionais habilitados.
✔ Qualquer dúvida peça a enfermeira orientações para o bom funcionamento da fístula.

Quando a fístula não é possível

O catéter de duplo lúmen permite a retirada e a devolução do sangue, sendo utilizado quando há necessidade de se iniciar o tratamento de hemodiálise mas não houve tempo para a realização da fístula, se ela não amadureceu o suficiente ou ainda se existe algum problema com a fístula. Consiste em tubo plático com duas cores diferentes para utilização prolongada em veia subclávia ou jugular, este tubo fica por fora da pele e é preso por pontos e curativo que só deve ser trocado no centro de diálise a cada sesão. Neste caso os cuidados são maiores do que a da fístula. Este curativo não deve ser molhado. Para isso, no banho deve-se cobrir o curativo com plástico e prender com fitas. Os banhos de mar e os da piscina e são contra indicados pelo risco de infecção no período em que continuar com o cateter.

Por que é importante sua participação no tratamento?

A insuficiência renal crônica é responsável por limitações que agora você terá que enfrentar. O fato de fazer diálise e ter uma fístula, interfere na sua rotina diária e isso vai requerer algumas mudanças e cuidados. Dependendo das condições de saúde atuais, poderá retornar ao trabalho, desde que o mesmo não exija esforço demasiado. É muito importante para a auto-estima que trabalhe ou exerça algum tipo de atividade. Também poderá praticar esporte, de acordo com as recomendações médicas.
Procure sempre orientação com o médico. É muito importante que o paciente tenha conhecimento da situação do tratamento que necessita e dos prejuízos ocasionados pela falata de colaboração e auto-cuidado.

É necessário não deixar toda a responsabilidade do tratamento para a equipe que o assiste e nem se tornar dependente total da família. Seja auto-suficiente de acordo com suas condições. Você é o principal responsável pelo sucesso do tratamento.

Como colaborar:

✔ Seguindo rigorosamente as instruções dos médicos, enfermeiras e nutricionistas
✔ Comparecendo ao tratamento nos horários determinados.
✔ Tomando as medicações prescritas, inclusive a vacina para a hepatite B.
✔ Cuidando do corpo, controlando o ganho de peso e a quantidade de líquidos ingeridos.
✔ Fazendo a higiene corporal todos os dias.

O importante é que continue trabalhando, assim não se sentirá inútil, estará produzindo e, portanto, não se sentirá doente, solitário ou incapaz. O fato de fazer algo que goste o tornará ocupado com alguma atividade, não lhe sobrará tempo para pensamentos ruins ou lamúrias. Não se entregue. Mantenha seus amigos, não se isole, você continuará tendo momentos de alegria.

Você tem uma vida diferente, com restrições e alguns cuidados, mas continua com suas idéias próprias, seus sentimentos e opções. Como tal é capaz de optar e participar dos acontecimentos e do tratamento.

Se ficar isolado, o que isso lhe trará de bom? Ficando sozinho poderá entrar por um caminho de solidão, que lhe trará pensamentos negativos. Em que lhe ajudará a solidão e a dependência toal de outra pessoa? Pode achar que não lhe resta nada de bom, o que não é verdade. Houve mudanças no seu corpo e na sua vida, mas isso não o impede de continuar a viver. Pense nisso. Nós da Nefrologia estaremos sempre disponíveis para ajudá-lo, a você e a sua família.

Qual a participação da família?

Para que o tratamento seja possível, é necessário que haja uma colaboração e acompanhamento de todo o pessoal que trata de pacientes renais e principalmente da família. A participação da família consiste em controlar corretamente a prescrição médica tanto em relação aos medicamentos, como em relação à dieta que o paciente deverá fazer em casa e não superproteger o paciente, deixando-o cuidar-se e ser o maior responsável pelo tratamento.


C. TRANSPLANTE RENAL
É o tratamento mais natural da substituição para a falência renal, que lhe garante o retorno da sua qualidade e estilo de vida, anterior a doença. A preparação para o tranplante renal requer uma série de exames de compatibilidade entre o doador e receptor e de controles clínicos. O procedimento é feito cirurgicamente, onde o novo rim é colocado no abdômen sem a necessidade da remoção dos rins doentes. A indicação do transplante renal é médica e apesar de todos os pacientes serem candidatos, existem algumas indicações clínicas específicas que podem limitar a indicação

Dentro desta opção o rim a ser transplantado pode ser:

✔ Doador vivo: enxerto renal provenientes de membros da família;
✔ Doador cadáver: enxerto renal proveniente de um indivíduo já falecido, que submetido a uma série de análises histológicas é compatível e adequado para você.
✔ Caso você deseje informações a respeito deste tratamento, pergunte aos médicos e enfermeira responável pelo seu tratamento.


 

 APOIO:




 

   

 POLÍTICA DE PRIVACIDADE  | TERMOS E CONDIÇÕES DE USO | ADICIONAR AOS FAVORITOS!  |  INDIQUE ESTE SITE



Este site esta em conformidades com a
Resolução nº 097/2001 do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo
( CREMESP )  que institui o Manual de Princípios Éticos para Sites de Medicina e Saúde.
Copyright © 2005:  TRANSDORESO -
ASSOCIAÇÃO DOS PACIENTES DOADORES E TRANSPLANTADOS RENAIS DE SOROCABA E REGIÃO
Produção e Criação 2005:
Todos os Direito Reservados