ASSOCIAÇÃO DOS PACIENTES DOADORES
E TRANSPLANTADOS RENAIS DE
SOROCABA E REGIÃO


Publicidade / Campanha - 468x60


     

  

SOBRE A TRANSDORESO  |  DIRETORIA   |   ESTATUTO SOCIAL  |  METAS E OBJETIVOS  |   DOAÇÃO  |  VOLUNTARIADOFALE CONOSCO   

CAPAOS RINS | MANUAIS DE AJUDA | SEUS DIREITOS | HEMODIÁLISE | ORIENTAÇÃO NUTRICIONAL | TRANSPLANTES | GLOSSÁRIO | FAQ |

  HEMODIÁLISE


Saiba um pouco mais sobre hemodiálise

A hemodiálise é um procedimento que filtra o sangue. Através da hemodiálise são retiradas do sangue substâncias que quando em excesso trazem prejuízo ao corpo, como a uréia, potássio, sódio e água.

Como funciona a hemodiálise

A hemodiálise é feita com a ajuda de um dialisador (capilar ou filtro). O dialisador é formado por um conjunto de pequenos tubos. Durante a diálise, parte do sangue é retirado, passa através da linha arterial do dialisador onde o sangue é filtrado e retorna ao paciente pela linha venosa.

Atualmente, tem havido um grande progresso em relação à segurança e à eficácia das máquinas de diálise, tornando o tratamento bastante seguro. Existem alarmes que indicam qualquer alteração que ocorra no sistema (detectores de bolhas, alteração de temperatura, e do fluxo do sangue, etc).

Em geral, a hemodiálise é feita três vezes por semana, com duração de quatro horas cada sessão. Podem existir variações neste tempo de acordo com o tamanho e a idade do paciente, assim como em uma mulher grávida. Adultos de grande porte podem necessitar de um tempo maior. Atualmente, podemos medir a quantidade de diálise e podemos mudar essa quantidade, aumentado ou diminuindo o tempo de diálise, o número de sessões semanais, o fluxo de sangue ou o tamanho do dialisador.

Lembre-se: a máquina de diálise é sua aliada. Pergunte ao seu médico ou auxiliares como funciona a máquina onde você dialisa, pois quanto maior for o seu conhecimento, maior será a confiança, e melhores os resultados do tratamento.

Em quanto tempo acontece a hemodiálise

Em geral, a hemodiálise é feita três vezes por semana, com duração de quatro horas. Podem existir variações neste tempo de acordo com o tamanho e a idade do paciente, assim como uma mulher grávida. De fato, crianças e adultos de grande porte podem necessitar de um tempo maior.

Não perca tempo, aproveite o tempo da sessão de diálise para ler, escrever, conversar, assistir televisão ou simplesmente dormir um pouquinho.


Alguns problemas que podem surgir durante a hemodiálise

É bastante comum sentir câimbras musculares e queda rápida da pressão arterial (hipotensão) durante a sessão de hemodiálise.
Estes problemas acontecem, principalmente, em consequência das mudanças rápidas no equilíbrio dos líquidos e do sódo. A hipotensão pode fazer com que você sinta fraqueza, tonturas, enjôos ou mesmo vômitos.

O início do tratamento dialítico pode ser um pouco mais difícil, pois, nesta fase, o corpo está se adaptando a uma nova forma de tratamento. Você poderá evitar muitas complicações se seguir a dieta recomendada, tomar poucos líquidos e tomar seus remédios nos horários corretos.

Lembre-se: durante a sessão de hemodiálise, o médico ou auxiliares devem ser comunicados caso você não esteja se sentindo bem, para que receba o tratamento necessário rapidamente.

O quanto a diálise é suficiente

Atualmente podemos medir a quantidade de diálise e podemos mudar essa quantidade aumentando ou diminuindo o tempo de diálise, o número de sessões semanais, o fluxo do sangue ou o tamanho do dialisador.

Seu médico é quem determina a quantidade de hemodiálise que você precisa, de acordo com o estadode atividade de seu corpo, de sua alimentação e ingestão de líquidos.

O objetivo do tratamento é que você esteja sempre, sentindo-se bem, bem nutrido, livre de inchaços, com a pressão controlada e com os exames de sangue mostrando quantidades aceitáveis de potássio, uréia, etc.

Lembre-se o uso correto das medicações e dietas recomendadas, ajudam muito no tratamento de hemodiálise.

O que é peso seco?

Você já deve ter ouvido falar e pode ter sentido os prejuízos de chegar a sessão de hemodiálise com um peso muito acima de seu peso seco.

Mas afinal o que determina o seu peso seco?

O peso seco é o seu peso ideal, com o qual você deve estar sentindo-se bem, sem inchaços, com pressão arterial normal, com exames de avaliação do pulmão e do coração normais.

Este peso deve ser atingido ao término de cada sessão de hemodiálise.
Quando se ingere, muita água ou outros líquidos entre as sessões de hemodiálise, o seu peso pode ficar muito acima do seu peso seco e, além do inchaço, você pode sofrer intensa falta de ar, antes de chegar o momento de uma nova hemodiálise. Para perder todo o excesso de peso durante a próxima sessão você estará sujeito a câimbras, queda acetuada de pressão arterial, náuseas, vômitos e mal-estar.

Pergunte ao seu médico qual é o peso ideal para você e quantos quilos é permitido ganhar entre cada sessão de hemodiálise.
Lembre-se: você se sentirá bem melhor se seguir à risca as determinações de seu médico quanto ao seu peso ideal.
Oportunamente estaremos falando mais sobre hemodiálise.

Como o sangue é retirado do corpo?

A hemodiálise é feita por um tubo ( cateter ) que é colocado em uma veia grossa que é o acesso vascular para hemodiálise. É o que permite a retirada e a devolução do sangue para a pessoa. O tipo mais freqüente de acesso vascular é a fístula.Consiste numa ligação entre uma artéria e uma veia através de uma pequena cirurgia.Esta ligação permitirá a colocação de duas agulhas por onde o sangue sairá para o dialisador e depois será devolvido para a pessoa.


Quais são os cuidados com a fístula?

Para manter uma boa fístula: mantenha o braço da fístula bem limpo, lavando sempre com água e sabonete. Isto evita infecção que podem inutilizar a fístula. Qualquer sinal de inchaço ou vermelhidão deve ser comunicado imediatamente ao médico ou a enfermeira. Faça exercícios com a mão e o braço onde está localizada a fístula, isto faz com que os músculos do braço ajudem no fortalecimento da fístula. Evite carregar pesos ou dormir sobre o braço onde está a fístula, pois a pressão sobre ela pode interromper o fluxo de sangue.

O que mais se deve fazer para cuidar da fístula?

Não permita as verificações de pressão arterial no braço onde está localizada a fístula, pois o fluxo de sangue pode ser interrompido. Não permita a retirada de sangue ou o uso de medicamentos nas veias do braço da fístula a não ser que seu médico autorize. Caso aconteçam manchas roxas após a utilização da fístula, use compressa de gelo, no dia em que isso ocorreu e água morna nos dias seguintes, conforme orientação médica e da enfermeira.

Como prevenir complicações na fístula?

É sempre bom evitar que as punções para a hemodiálise sejam repetidas em um mesmo local da fístula, para que não se formem cicatrizes que dificultem as próximas punções. Ter o hábito de palpar seu pulso na região da fístula para sentir o fluxo de sangue passando. Caso perceba que o fluxo está muito fraco, diferente do costumeiro ou que parou completamente, procure auxílio médico imediatamente pois este é um sinal de mau funcionamento ou perda da fístula.

Quais são os medicamentos usados na hemodiálise?

Vitaminas:
Algumas vitaminas perdem-se durante a diálise. A ingestão de vitaminas repõe o seu nível.

Acetato ou Carbonato de Cálcio:
Fornece um suplemento de cálcio, além de evitar a absorção do fósforo e diminui a acidose do sangue. Reduzindo a absorção de fósforo evita-se a doença óssea do doente renal.

Ferro:
Para melhorar a anemia.

Eritropoetina:
Para aumentar a produção de glóbulos vermelhos pela medula óssea e corrigir a anemia.

Vitamina D ativada (calcitriol):
Para aumentar a absorção intestinal de cálcio e melhorar a mineralização dos ossos.

Anti-hipertensivos:
Os pacientes com hipertensão arterial que não baixa depois da sessão de diálise necessitam de medicação para controlá-la.

O médico indicará qual é o mais adequado para cada paciente.

Qualquer desses medicamentos, até os considerados mais inócuos, tomados sem controle médico, podem ter efeitos desastrosos. Por isso, é absolutamente imprescindível que cada paciente siga as instruções de seu médico.


O que é a diálise peritoneal?

A chamada diálise peritoneal ambulatorial contínua ou CAPD (iniciais das palavras em inglês) é uma modalidade de filtração das toxinas sangüíneas em que se utiliza a membrana peritoneal (no abdome) como depurador do sangue.
Como é feita a diálise peritoneal?

Um cateter é instalado no abdome, na chamada cavidade peritoneal e através deste é introduzido cerca de dois litros de líquido de diálise, já preparado e estéril, que é fornecido em bolsas plásticas flexíveis e atóxicas; este líquido permanece de 6 a oito horas no abdome e será trocado de 3 a 4 ou mais vezes por dia, todos os dias. Assim justifica-se o nome de diálise contínua.

Quem faz as trocas das bolsas da diálise?

Quem faz as trocas das bolsas é o próprio paciente ou um parente próximo, sendo que um enfermeiro ou enfermeira será o responsável inicial pelo treinamento do paciente e de seus familiares para efetuar as trocas.

Quais são as vantagens desse tratamento?

As vantagens deste tipo de diálise são a limpeza contínua das toxinas do organismo, realização do tratamento em casa e ajuste dos horários conforme as necessidades do paciente.

Existem desvantagens nesse tratamento?

Como todo tratamento existem desvantagens, e a principal delas é a possibilidade de ocorrer peritonite ( infecção da cavidade peritoneal ).

Consulte um médico a respeito do melhor tratamento indicado em cada caso particular.


(Reprodução de trecho do informativo da AP AR - Associação dos Pacientes Renais de Santa Catarina - fevereiro de 2002).

UM POUCO SOBRE A HISTÓRIA DA HEMODIALISE

 APOIO:




 

   

 POLÍTICA DE PRIVACIDADE  | TERMOS E CONDIÇÕES DE USO | ADICIONAR AOS FAVORITOS!  |  INDIQUE ESTE SITE



Este site esta em conformidades com a
Resolução nº 097/2001 do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo
( CREMESP )  que institui o Manual de Princípios Éticos para Sites de Medicina e Saúde.
Copyright © 2005:  TRANSDORESO -
ASSOCIAÇÃO DOS PACIENTES DOADORES E TRANSPLANTADOS RENAIS DE SOROCABA E REGIÃO
Produção e Criação 2005:
Todos os Direito Reservados